A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #

Rashid

"Todo Dia"

[Intro]
Rashid
Skeeter
Dada Yute!
Faya!

[Refrão: Dada Yute]
Luto todo dia, preto é luto todo dia
Se eu não pego a minha caneta e junto rima e melodia
Luto todo dia, preta é luto todo dia
Mais um que se foi, quem avisa sua tia?
Essa filosofia branca que destrói
Entra na rede sanguínea e te corrói
Feliz quando me veem andando de Caloi
Preto fodido de carro, chamam de boy

[Verso 1: Rashid]
Pesado nas linha, onde a censura ameaça
A volta e a desesperança fez um monte dos nosso reaça
Em meio à nuvem de fumaça e efeito moral de uma falsa moral
Seca o choro na bandeira enquanto nossas lágrimas regam o seu laranjal
Uau! Extra, extra! Um preto foi morto no Extra
O preço é alto pra nós; foi liquidação, mas o boy contesta
Os memo que celebra escravidão com festa
Faz piada com Mbappé
E depois se desculpa, do alto do seu privilégio, que ele não aceita ter
Relações digitais, só as contas são pessoais
Cada um olhando sua tela, mas as redes são sociais
E eu meto marcha, faço da arte o engate, bora puxar o carro
Puxar o bonde, puxar o coro, que o silêncio mata por dentro igual cigarro
Eles tiram sarro quando os nossos pedem socorro
Mas logo mudam o semblante pra sério, quando vê nós dando rolê no SoHo (Pode crer)
Resistência não é quebrar nada, é ter postura, que pu'cês é rara
Querem o pior pra mim e eu resisto, depois vocês é que quebram a cara

[Refrão: Dada Yute]
Luto todo dia, preto é luto todo dia
Se eu não pego a minha caneta e junto rima e melodia
Luto todo dia, preta é luto todo dia
Mais um que se foi, quem avisa sua tia?
Essa filosofia branca que destrói
Entra na rede sanguínea e te corrói
Feliz quando me veem andando de Caloi
Preto fodido de carro, chamam de boy

[Verso 2: Rashid]
Tem noção que a cada 23 minuto, uma mãe preta fica de luto?
Vidas que vão sem clemência ou tributo
Violência é o produto interno bruto (Literalmente)
Então eu repercuto, já tamo preso e eu quero meu indulto
Esculpo pérolas e não me desculpo
Ocupo mentes, por isso preocupo os puto
Quebrada não quer só curtida, também quer cultura
Se não abrir os olhos, num futuro próximo, dívidas do passado virão na sua fatura
Porque nossa história sofreu uma fratura
Por interesse só de quem fatura
É a vez de ter menos de nós num reformatório e muito mais numa formatura
Poesia em forma pura e o argumento que informa cura
Aquela carta não salvou ninguém, 'cês 'tão confundindo Isabel e Sakura
Ainda somos todos alvos, nada mudou desde "Estereótipo", mano
E o mais embaçado é que quase nada mudou desde Holocausto Urbano
Vamos juntar, formar nosso plano, pleno, pra tomar a cena
Alterar o que eles chamam de sina, longe dos pino, livre das pena
O Leão de Judá caminha comigo, no meio da bagunça hedionda
Aprendi que o legado é eterno, então seja o mar, não a onda

[Refrão: Dada Yute]
Luto todo dia, preto é luto todo dia
Se eu não pego a minha caneta e junto rima e melodia
Luto todo dia, preta é luto todo dia
Mais um que se foi, quem avisa sua tia?
Essa filosofia branca que destrói
Entra na rede sanguínea e te corrói
Feliz quando me veem andando de Caloi
Preto fodido na quebrada não é boy

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #


All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics provided for educational purposes and personal use only.
Copyright © 2017-2019 Lyrics.lol