A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #

Quinto Andar

"O Teste"

[Intro/Colagem: Kiko]
Com muito prazer
Com muito prazer para todos vocês

[Verso 1]
E se fosse tudo resultado de improviso
Jamais acabariam meus argumentos
Momentos insanos, planos
Manos em buscas de pensamentos, lentos
Segmentos dignos do meu vocabulário
Cursos, discursos, recursos que fazem parte do meu itinerário em busca da felicidade
A complexibilidade da ignorância transborda as bordas do meu olho nu
O real motivo do seu desdenho por mim é porque eu não mando um salve pros manos da sul
O céu azul e não passaria de cinzento se minha alma fosse daltônica
Feliz e triste, daqueles malucos que utilizam rima biônica
"Precisa-se de reais MC's" tava escrito numa placa pendurada num senhor de idade vestido de sanduíche
Eu olhei, analise e falei: "Vish, será que eu passo no teste?"
Com a camisa furada, a calça arrastando no chão, suja de piche
Entrei na sala onde só tinham três cadeira, duas prancheta, um sulfite e um bic
Eu era o quarto e último candidato representando meu condato no pique
Entrei de peito aberto e olhei de perto
Vi que não tinha papel, caneta e muito menos assento
Fiquei atento ao começo do desafio
O primeiro foi desclassificado pelo seu egoísmo
Por ter pego a caneta, o papel, a prancheta, mostrando seu egocentrismo
O segundo além de ter colado do primeiro condenou o catolicismo, e religião ninguém discute
Logo após sua apresentação ganhou um Ctrl+Alt+Del seguido de mute
O único que sobrou como adversário disse: "Então, primo, vamo resolver no freestyle?"
Começou com aquela história de que no seu último aniversário tinha cantado uma canção de 12 minuto em braile
Disse que era o dono da maior festa de L.A
Jurou ser o criador da lei do rap
Que sua conta bancária tinha mais número que o CEP de casa
Disse que o ferro de passar era uma mera cópia do seu mic movido a brasa
E por último disse que comeria minha irmã, meu pai, minha mãe, minhas tia e quem fosse preciso
Memo tendo só eu e ele na sala ele falou: "Então...
Quem gostou bate palma pro meu improviso"

[Verso 2]
Chegou minha vez, de vez em quando eu pensava que isso não era ser real MC
Decidi deixar quieto, tava desiludido com o hip-hop
Prefiro colocar meu fone no ouvido, ouvindo A$AP Rocky
Não pensei no IBOPE
Não liguei pra quando fui chamado de pop
Não fui lembrado no Top 10
Mas honrei a meia que veste meus pés
Não meço meus decibéis, mas faço meu estrago
Não entendo porque os caras tiram barato de mim só porque eu tenho cu magro
Mas isso não interfere em porra nenhuma se é através das palavra que eu me consagro
E sempre vai ser assim
Se o problema era rimar com história, eu criei uma com começo, meio e fim
E foi assim que eu ganhei essa chance
E caso você não se canse, escuta de novo
Espalha pro povo pra ver se ajuda
Quem sabe alguma coisa muda
Tomara que ninguém se iluda com meus pensamento franco
Quem sabe assim o mundo volte a ver as cores reais da vida além de preto e branco

[Outro]
Lumbriga

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #


All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics provided for educational purposes and personal use only.
Copyright © 2017-2019 Lyrics.lol