Pras
Aneurisma (Ready or Not Remix)
[Verso 1]
Quando a coragem deixa a racionalidade, o erro sorri
De novo e novamente todas as suas verdades acabam de sumir
Um ciclo de onde não se consegue sair
Quando fraco torno-me inabalável ao a**umir
Estar num impa**e impalpável onde o medo começa a agir
Em torno de meu sangue existem sanguessugas prontas pra se alimentarem
O mundo e a vida são isso aí
Filhos da puta se esgueirando e esperando a falha no movimento para da minha carniça se saciarem
Algo que não dá pra decidir ou escolher
Sabe aquele louco que não pode errar?
Ele também não pode temer em atirar para matar
As vezes nem dá para a**imilar
O que é similar, quem vai te atrasar ou te a**a**inar
Pelas costas vir te esfaquear, peças postas pelos custos
Qual de nós te trairá?
E quem dirá se terá alguém lá pra quem sabe te ajudar a levantar
E depois largar sua mão te fazendo voltar ao chão de uma forma traiçoeira
Preparado ou não, aqui vou eu e "cê" já sabe que é pedreira
(hã)
Não me sinto digno
Digo, indigno, pique no difícil, fixo um signo que no mínimo risco em que sigo é estar vivo
Inimigos e amigos nessa simbiose a priori me induzem a morte
Essa psicose se iguala a virose que corre solta aí
Me desprendi e fui
Se não fazia parte minha linha te inclui
Seu castelo rui
Te conduzo a outro fuso muito a frente do seu tempo ruim
Eu "tô" metendo com a vida
E com as minas que me são oferecidas
As vezes missão dada nem sempre é c*mprida
Porque nunca terminam
E se fosse só pelas...
Não teria lógica nenhuma
Tem um monte aí querendo dar, pra qualquer um existe qualquer uma
Dinheiro é bom, eu quero, se essa é a pergunta
Mas vai além do porém e também não fui criado para agir nem refletir como uma puta
Pareceu ser pra você a**im tão desconexo?
É que o neuro do seu intelecto vale Euro
Então ataco em complexo para roubar sua atenção enquanto fica perplexo
Chi Chong causando um aneurisma
Discípulo de Mestre Wellington, catequizando a cada golpe
Até entrar em crisma ou em coma
Não adianta essa sisma
Talvez seja questão de tempo um de nós beijar a lona

[Refrão] (2x)
A estrela celeste da negação
Tá de volta para trovar e provar da sua ambição
Pouco me fodendo para sua avaliação intuitiva
Essa é a minha ação afirmativa
(Até porque...)

[Verso 2]
(Uh Uh)
Trapaceando rivais, contando poucos reais
E o que eu digo e o que rimo vai intoxicando canais
A pequena maioria só problematiza e extrema seus problemas banais
E a grande minoria se eterniza com problemas reais
O tempo se vai, minha sanidade se esvai
Me esquivo para não ser o próximo filho de uma puta que cai
Nesse vem e vai talho com uma habilidade orfã
É foda ser o "pica" mas é uma merda ser "o fã"
Guardo isso nas nuvens
CZA de punhos nu vem, tu vens, já escuto teus sinais
Ajudando contra esse câncer
Não tenho time mas tô no pique de um necromancer...