Luiz Lins
Escama
[Intro]
Nego no poder, escama
LL, LL
Nego no poder, escama
Mazili no beat, yeah

[Refrão: Luiz Lins]
Nego de moto, escama
Nego de prata, escama
Nego no poder, escama
Eu sou tipo Barack Obama
A polícia odeia a escama
Esses caras odeiam a escama
PE Squad na casa fazendo fumaça
Meu bonde na caça da grana

[Verso 1: Luiz Lins]
Eu sou tudo que vocês quiseram ser e não são
E o que vocês não conseguem fingir que são
Falam sem convicção, mas eu vi que são ficção
Fique são, que se pagar de doido a gente faz balão
Aqui é sempre São João
Negos a prova de bala
Nunca teste meus irmãos
Somos Judeus pela grana
Odiamos alemão, eles odeiam a escama
É doce igual limão, nego pa**a, eles sentem o drama
Sinto muito, mas não tenho emoção
"Tamo junto" é só força de expressão
O sonho é real, tô pelo cifrão
Mas tu se engana se acha que tô na intenção de "várias danadinhas no contatinho do pai", não
Várias iguarias no contratinho do pai
Um malote pra quadrilha
O melhor pra minha família
Um cálice pros meus comparsas
Calem-se os que falam demais!
[Refrão: Luiz Lins]
Nego de moto escama
Nego de prata escama
Nego no poder escama
Eu sou tipo Barack Obama
A polícia odeia a escama
Esses caras odeiam a escama
PE Squad na casa fazendo fumaça
Meu bonde na caça da grana

[Verso 2: Baco]
Dia de confronto
Torcida, corrida
Cachorro de briga
Direto da antiga
Corrente não é coleira
Ninguém vai me parar
Boné mal-encaixado
Vejo as la fúria dançar
Essa bunda é pra morar, não quero alugar
Fazendo mais dinheiro do que dízimo
Inimigos dizimo, 6 fodas, 3 a**altos
Então temos 9-9-9-9-9 problemas
O crime não compensa, mas dinheiro vale a pena
Cadeia é uma bosta, mas dinheiro vale a pena
Santa ceia para os meus fiéis, meus meninos amam jóias
E confundem gatilhos com anéis
Então de vocês eu sinto pena
De vocês sinto pena, de vocês sinto pena
Essa vida é desgraçada, mas eu sou um desgraçado
Toda mina de ouro é um campo minado
Salve para os parceiro finado, que serão lembrados
Playboys não vão ser lembrados
Playboys não serão lembrados
Aqui ninguém perdoará sua falha só porque você tá lombrado
[Verso 3: Diomedes Chinaski]
Foda-se instante de fama
Sou diamante da lama
Real nego drama, farda não me ama
Essa é pros cabras em cana
As arlequinas em chamas
Outrora escravos, hoje compramos na joalheria correntes brilhantes
E ninguém corta esse axé
Nem sua xenofobia "a la bandeirantes"
Essas primas não são nada
Minhas obras-primas são tudo
Minhas Monalisas no estúdio
E nessas ruas sombrias me comunico até mudo
Já sonhei ser bandido, vi os amigo fudido
E optei por poesia bandida
Pra eles é escama, vir debaixo e fazer grana
Sem perder ou jogar com a vida
Foda-se o jiu-jitsu, isso e aquilo
Nego, isso é um quilo
O serviço e o gatilho
Nada disso é tranquilo
Os indícios de um filho
Vale os vícios e os trilhos te conduzem a um inferno empírico
Pernambuco diz quem é o mais lírico
Se os maluco botam fé, sou bíblico
Tô a frente do meu tempo
Mermo que a porra do tempo
Seja frio, sem sentimento e cíclico
E não aceito julgamentos
De quem não viveu momentos
Como os meus nesse mundo crítico
A vida é puta e gozo dentro
Elogios me deixam atento
Porque fodam-se os críticos, porra
(Fodam-se os críticos)
[Refrão: Luiz Lins x2]
Nego de moto escama
Nego de prata escama
Nego no poder escama
Eu sou tipo Barack Obama
A polícia odeia a escama
Esses caras odeiam a escama
PE Squad na casa fazendo fumaça
Meu bonde na caça da grana